terça-feira, 26 de março de 2013

Artigo: Como NÃO fazer uma Ilustração



Aqui está um passo a passo que eu gostaria de chamar de “como NÃO fazer uma ilustração”.

Porque eu faria isso? Porque sempre escrevi muitos tutoriais de “como fazer determinada coisa”, mas nunca coloco uma segunda maneira. Sempre há umas 1000 formas de se fazer a mesma coisa, mas definitivamente eu digo: há 1000 formas de se fazer uma coisa certa e somente UMA de fazer errada.

O problema é que a errada é aquela forma "mais fácil" de se fazer... aquela que colabora com a nossa preguiça de fazer direito e pegamos um atalho sem ter certeza... e é por isso que todos nós, frente a 1000 formas de se fazer, somos seduzidos por escolher sempre a errada.

Pois bem, eu vivo fazendo essas escolhas erradas e em 2009 eu fiz uma ilustração onde, com certeza, eu usei o caminho mais errado para se concluir uma ilustração, e guardei todos os passos.

Assim a dica desse post é: vejam como eu fiz errado e tentem não fazer igual! Vou explicar porquê com esse passo-a-passo.

Como NÂO fazer uma ilustração...

Normalmente temos uma ideia super legal e logo a rascunhamos. Precisamos ter em mente, sempre, que nosso rascunho é uma ideia crua. É nosso primeiro impulso. Ele é bom, do ponto de vista artístico, mas nem sempre é bom do ponto de vista comunicacional. Como assim?

Você está andando na rua e alguém chega e te pergunta: “como faço para chegar no centro da cidade?”. Você para 3 segundos, olha ao redor e diz “vai por aqui”. Você continua sua jornada e depois de um tempo um "clic" vem à sua mente e você pensa “humm, poeria ter dito pra ele ir por ali, ia ser mais fácil”.

Você tem esse "CLIC" porque mesmo desencanado do assunto seu subconsciente ficou trabalhando em outra resposta, uma resposta melhor.


DICA_01: O primeiro rascunho da sua ideia nem sempre é a melhor forma de expressá-la.

Faça muitos rascunho, depois dê um tempo para sua cabeça pensar. Vai tomar uma água, jogar vídeo-game, começar outro trabalho, enfim, depois de muitos rascunhos feitos, deixe eles "dormirem" pelo menos 1 hora (e, idealmente, 1 dia - mas normalmente não temos nem 1h hora o que dirá um dia...).

Abaixo vemos o meu primeiro rascunho.




Criei um desenho sem compromisso. Apenas um dragão parado, observando o local. O rascunho era interessante, mas não era uma idéia finalizada. Ainda assim, do próprio rascunho eu continuei a ilustração. Chapei algumas cores e volumes.

Fiz errado. Se eu quisesse que aquela ideia virasse uma ilustração, por mais que eu estivesse convencido de que aquele rascunho era o melhor, eu deveria rascunhá-lo novamente corrigindo alguns erros. Como colocar a perspectiva no lugar, acertar o braço direito, torcer melhor o tronco para melhorar o CONTRAPOSTO, etc... O rascunho livre sai sem pensar. A ilustração final, precisa ser pensada.

Para concertar tudo isso, em cima do volume, fiz um novo rascunho. Ou seja, fiz um novo rascunho em cima do rascunho antigo. Mas colocando tudo no lugar certo e definindo músculos e detalhes.



Pois é, fiz errado de novo! Eu deveria ter começado do zero, e não desenhado em cima de uma coisa que já estava errada. Consegui arrumar, mas eu demoraria menos se fizesse de novo. O mais interessante é que vejo no youtube "time-lapses" de pessoas ilustrando e a grande maioria faz isso, e de tanta repetição ja tive aluno me perguntando "porque eles fazem assim", tive que responder "porque estão fazendo errado"... :(
Olha só: recomeçar novamente significaria ter que posicionar a luz e sombra de novo e desenhar um monte de coisas que não precisaria... A forma mais fácil era a que colaborava com a minha preguiça! Por preguiça de posicionar novamente a luz da ilustração, aproveitei as formas pra fazer um novo rascunho por cima do rascunho errado... 

Feito o rascunho certo em cima do errado, comecei a jogar tinta e cobrir as linhas.

Então eu pensei: Pouts, ia ficar muito mais legal se o dragão estivesse voando!

Agora, lembra o que eu falei? Só podemos ter certeza de uma coisa quando pensamos melhor sobre ela. Em vez de começar o rascunho de novo, re-posicionar o tronco para compor melhor com pernas em vôo, fiz errado mais uma vez! Coloquei um papel branco por cima e desenhei só os pés voando.




No final, a iluminação ficou boa, consegui arrumar (ou melhor, disfarçar) as distorções do tronco e a ilustração ficou, para mim, muito bonita. Mas eu gastei DIAS em cima de uma coisa que poderia levar somente Horas... 

A ilustração que está no topo do post é a que considero final.

Perai, perai, não está final. Está borrada, falta colocar detalhes de escamas e muitas outras coisas que sei que poderiam contribuir com a composição... Mas eu não AGUENTO mais olhar para essa imagem! Se tivesse feito tudo certo desde o começo não precisaria recomeça-la errado tantas vezes em cima da mesma base ruim. (peguei birra da ilustração e não volto mais pra ela!!!)

Então, olha só uma frase que minha avó sempre me disse: Quem faz certo, faz uma vez só!

Você quer ver o PSD Original, em 300 DPI dessa ilustração? Ele está no Diretório Aberto, a pasta online do Ilustradica! Já se cadastrou no sistema? CLIQUE AQUI para entrar nele 



E, se vc quiser ver um desenho que fiz onde planejei e pintei da forma mais adequada ao que eu queria, aqui está.